Cores

Dizem que o amor tem cor, assim como tudo o que se sente tem, e em suas mais variadas tonalidades.
As coisas boas que sinto são em azul marinho, tais quais: Estar bem agasalhada e quente em uma noite fria. Ouvir a sua voz a qualquer hora do dia e sentir o timbre dela vibrar dentro de mim. Ouvir as minhas músicas favoritas e as cantar desenfreadamente. Comer chocolate e tomar café (fazer os dois juntos ou não). Andar pela cidade e fazer sempre boas ações, procurar mudar o dia de alguém de alguma forma. Cozinhar e inventar pratos diferentes. Passar um tempo olhando para o céu e reparar nele detalhes que só reparo nos seus olhos.
O curioso é que a cada vez que sinto um quentinho no meu peito por fazer algo que realmente amo, visualizo imediatamente uma tela pincelada suavemente de azul marinho do tamanho que preenche a minha mente por completo como uma lona.
E quando passo por emoções ruins, essa tela muda de textura, de tonalidade e de cor.
De todo esse azul majestoso e elegante, só consigo enxergar um laranja tom pastel que me irrita e me faz querer surtar por sua suavidade enquanto estou me sentindo fraca e sucumbida por emoções que me fazem mal.
Eu vejo todas as cores do mundo quando fecho os olhos e vejo os meus sonhos, meus contos inimagináveis, as minhas crises existenciais, os trechos que leio em livros e na internet durante o dia... Ou quando sinto cheiro de café que me esquenta e alimenta a alma em um dia de inverno brusco.
Eu sinto todas essas cores uma a uma, em cada nuance, em cada emoção e sentimento.
Mas quando se trata de você, de repente a minha tela simples feita de tecido cru, é substituída magicamente por uma tela mais tecnológica que me faz enxergar um holograma com flores de todos os tipos, e as cores de todas elas também. De repente num golpe de luz enxergo raízes, sementes, terra, água, vida. De pouco em pouco vou materializando tudo, fazendo existir na realidade. A ponto de abrir os olhos, olhar em volta da sala de estar, e perceber que eu respiro. Reparar e contar as batidas e os embalos do meu coração. Sentir o meu corpo todo arrepiar porque o meu sangue dança enquanto corre por minhas veias. Notar que as minhas palpebras se movem rapidamente e que o nome disso é piscar.
Eu já havia esquecido o sentido de todas essas coisas, porque depois de você eu nasci de novo. E tudo o que eu preciso agora é descobrir o meu novo mundo ao seu lado, como um recém nascido.
Vamos pintar a tela de nossas vidas com a tinta do nosso amor diluído, e mostrar a todos que nem sempre as cores precisam ser vistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário