Ser

E então me pego pensando nos últimos  meses - às vezes indo mais a fundo até os últimos anos -, capturando no ar todos os momentos e sentimentos bons que eles me renderam, que você me rendeu. Eu não quis perder você, sei que, de alguma forma, você escapou feito água pelos meus dedos. E eu esperei perdê-lo para entender de uma vez por todas o que era viver. Crescer.
De repente bate aquela vontade de dizer “Ei, você quer ver um filme comigo? Quer almoçar? Posso te ligar?”
E nas incertezas do amanhã, o tempo de repente passou como uma brisa de outono. Daquelas que carregam as folhas caídas das árvores, e as levam para cair em outros jardins. Fui voando com as folhas para longe de você.
Vários "amanhãs" se foram, e nenhum "hoje" restou para nós.
Nunca saímos daquele impasse de uma hora copo cheio, outra copo vazio... Até virarmos nada além de gotas no mesmo copo.
Secamos. Não como as folhas de outono. Como uma árvore que nunca teve a chance de simplesmente... Ser. Brotar. Cair.
Fizemos o processo ao contrário, só que sem sermos algo, ou brotarmos.
Demos largos passos em direção ao abismo do que poderíamos ter tido, e termos feito florescer.
 

6 comentários:

  1. O ritmo que tens postado tem me deixado contente. Meu peito está constantemente quente agora. Eu sei o que é sair em busca de incertezas, e pensar constantemente o que "seria". Mas é isso que nos move. E isso deve ser sentido e escrito e passado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu fico constantemente feliz em saber disso!
      Não sei se digo "que bom que me entende", porque sei o quão ruim é sentir falta de algo que nunca existiu. De uns tempos pra cá sinto bastante falta disso.

      Bem, chuva cai lá fora, e a brisa fria faz ruídos em minha janela agora. E eu só consigo ter ainda mais ânimo pra continuar a escrever.
      Obrigada por acompanhar os textos aqui do blog!

      Excluir
    2. (E os escritores trabalham. Cada um em um extremo, mas a chuva é a mesma...)
      O que posso desejar é mesmo isso; inspiração. Continue postando essas pequenas pérolas que só enriquecerão quem sente verdadeiramente. Somos poucos... mas, existimos.

      Excluir
    3. Dores nos trazem inspiração desde que o mundo é mundo. Textos motivacionais/otimistas não são tão visados quanto textos melancólicos.
      Houve um tempo da minha vida em que eu mal escrevia. Acho que eu era feliz.
      Bem, acho que permanecerei escrevendo frequentemente por um longo tempo...
      E a chuva me ajuda com isso. O tempo frio também. São as minhas companhias.

      Excluir
  2. Que post lindo! <3
    Você escreve muito bem, parabéns!
    Adorei, principalmente, o que você disse sobre sermos nada além de gotas no mesmo copo. Me sinto assim também!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitíssimo obrigada! <3
      Fico imensamente feliz que tenha gostado. :)

      Beijos!

      Excluir