Morada

Tristezas podem ficar guardadas em baús no porão, acumulando poeira e sendo alimentadas de silêncio.
Elas podem ficar caladas, com alguns amontoados de tecidos por cima.
Podem adormecer, e enquanto isso corremos pelos quintais dos sonhos, com os olhos bem abertos, deixando para traz os rios das indagações.
Quando as tristezas acordarem desbotadas por tanto pó que as cobrem, é um sinal de que está na hora de nós pegarmos a barca do contentamento.
Antes que as cicatrizes fechadas resolvam abrir as portas de suas moradas, e nos tenham como visita pro chá das cinco.


2 comentários: